quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

há dias e dias!

mesmo só porque gosto muito. e pronto. (hoje um beijo especial para o meu amor)*

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Rainbow


"somos todos como arco íris e é impossível entendermo-nos nas 7 cores. o maravilhoso das relações é ver um homem e uma mulher que se entendem em 3 ou 4 cores e isso basta-lhes."
António Lobo Antunes
Sou uma parvinha. Assusto-me quando me falta aquilo a que estou habituada, que tomei para mim como certo. E mais, e pior! Quero a perfeição, as 7 cores, tudo certinho, ponderado, pesado, cedência daqui e dali, ninguém perde, ninguém ganha, somos felizes. Incapaz de perceber a riqueza da consonância em 3 ou 4 cores, perco-me a pensar na ilusão do encaixe das 7, perfeição das perfeições, ilusão das ilusões, ilusão das perfeições!... E é isto. Sem saber bem em que cores nos encontramos, não duvido que nos encontramos. E, vamos lá ver, feitas as contas é isso que interessa, e não aquela corzinha em que tropeçamos sempre (raios! que até irrita!).

domingo, 8 de novembro de 2009

noites


Tenho andado às voltas. À Tua procura, e sem Te encontrar. Sabendo-Te aqui, mas incapaz de Te sentir. Quase a desesperar...
Ontem à noite despertaste-me, em circusntâncias eventualmente inesperadas."(...) é preciso que o procures dentro de ti mesmo. Se não o encontras no teu coração, é escusado procurá-lo em nenhum outro lado."
Burra. Burra burra burra.
Claramente ainda não percebi que a Tua lógica é ao contrário da minha. Que não Te procuro como se procuram todas as coisas. Que estás onde não espero. Que me falas no silêncio. Que não estás de fora, mas cá dentro. Cá dentro da minha a vida, a viver comigo. Dentro de mim, a existir comigo, e a ser parte de mim. Ainda não percebi que me transformas, se eu deixar. Que me moldas, se for barro. Que me abraças sempre que Te souber sentir. Que Te encontro se descer ao fundo do mais fundo de mim.
Quero ser capaz!


domingo, 1 de novembro de 2009

analogia.

"Não te preocupes. Olha, a verdade é como o azeite em água: vem sempre acima."

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Flashback

Foi ontem. 11 da manhã e a campaínha a tocar. Entrei no carro da minha boleia para Évora, apertei o cinto. O rádio começou a gritar os primeiros sons e passado alguns segundos já dizia "I gotta feeling". Revi a manhã: a tomada de posse; os novos rostos que agarram o volante do concelho para (acredito que sim!) o conduzirem ao desenvolvimento; o salão mais que cheio da Junta de Freguesia; o brilhozinho da conquista da mudança que vou vendo por aí nos olhos de tantas gentes. Revi os últimos meses: o movimento do Movimento; a campanha, à qual imprimiram um ritmo viciante; o desejo da mudança que se ia construindo aos poucos, nos ideais daqueles para quem Viana pode ter um rumo diferente, melhor. As eleições estão (mais que) ultrapassadas. Nunca escrevi sobre este tema, o que não significa que não tivesse a minha posição bem definida. Quero acreditar, que quem comandou os destinos do concelho nos últimos 16 anos fez o melhor. Quero acreditar que não houve má fé, nem interesses pessoais a sobrepor-se aos interesses do concelho e dos aguiarenses, alcaçovenses e vianenses. Quero acreditar; mas, às vezes, não sei se acredito. De qualquer modo, e sendo assente que passado é passado e que quem no passado ficou deixou (inquestionavelmente) obra feita, a mudança é sempre saudável. Porque, e é muito simples, o poder cria vícios, que a certa altura faz falta desmontar. Escolhemos todos juntos que a hora de mudar era esta. Bem ou mal, e passando a expressão, tivemos um "feeling". Espero, e confio, que tivemos o feeling certo. (Votos de um bom trabalho a quem de direito!)


segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Dura praxis, sed praxis!

Já acabaram as praxes.

Cantei, gritei, fiz p'ra lá mil e uma habilidades.
Fui batata frita, fui ambulância do INEM, e sei lá o que fui mais!

Fui belissimamente amadrinhada, e pseudo-apadrinhada.
Ganhei uma família que é a coisa mais boa!

Tocaram-me particularmente as cerimónias do baptizo e da sapatada.

E agora cá estamos, já a trabalhar.

(Ai como era bom ser praxado a tarde inteira. Ouvir os gritos de uma enfermeira. Mas agora já se acabou...)

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Diz que entrei




Cara TERESA VILELA,

Concluída a 1ª fase do concurso nacional de acesso ao ensino superior, vimos informar que o resultado da tua candidatura foi o seguinte:

Resultado: Colocada

Estabelecimento: [7030] Escola Superior de Enfermagem de São João de Deus

Curso: [9500] Enfermagem

Poderás consultar os detalhes do resultado da tua candidatura em www.dges.mctes.pt/coloc/2009 a partir das 0h de sábado.

Aproveitamos para agradecer a tua utilização do sistema de Candidatura Online ao Ensino Superior.

Obrigado e Felicidades,

Direcção Geral do Ensino Superior
e-mail recebido hoje às 17h31 =)

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Pieces.


Tenho pedacinhos de mim espalhados por aí. Não é novidade. E dou por mim com saudades desses pedaços. Nem sempre dos mesmos. Mais de uns do que de outros. E quando assim é, quando estou na fase das saudades, tudo me faz lembrar daquele pedacinho que não tenho aqui. E, inevitavelmente, do lugar onde esse pedaço está. Hoje, tenho muitas saudades. E deixo aqui um pedacinho de mim.

sábado, 29 de agosto de 2009

*

Se tu viesses ver-me hoje à tardinha,
A essa hora dos mágicos cansaços,
Quando a noite de manso se avizinha,
E me prendesses toda nos teus braços...

Quando me lembra: esse sabor que tinha
A tua boca... o eco dos teus passos...
O teu riso de fonte... os teus abraços...
Os teus beijos... a tua mão na minha...

Se tu viesses quando, linda e louca,
Traça as linhas dulcíssimas dum beijo
E é de seda vermelha e canta e ri

E é como um cravo ao sol a minha boca...
Quando os olhos se me cerram de desejo...
E os meus braços se estendem para ti...


Florbela Espanca



e no caso de quereres vir ver-me, hoje, à tardinha, é aqui que estou:


quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Um ano de felicidade!

Faz hoje um ano que este "Happiness happens" nasceu.


Aquele que tenho como um espaço meu, ao meu dispor para quando me apetece escrever, façam as palavras mais ou menos sentido, tem já cerca de 5443 visitas.
Agradeço a todos os que por aqui passaram, e a todos os que continuam a passar, mais ou menos regularmente.
Agradeço todos os comentários; as vossas partilhas ajudam-me a pensar e repensar, e a crescer!

E, sim, o ano que passou foi de felicidade! Nem podia ser de outra maneira =)

Fica uma frase através da qual, hoje à noite, me senti perto e aconchegada, n'Ele:
"Podes saber que vais chegar onde Deus te levar."

domingo, 23 de agosto de 2009

colo


Estou cheia. Escreveria tantas páginas quantas houvesse. Mas no fim de contas, tudo faz sentido. "Tudo posso naquEle que me conforta". Fica um sentido bem haja, a quem de direito. [e um abraço apertado para o meu amor]

terça-feira, 18 de agosto de 2009

O que é a Igreja?

Encontrei por acaso.
Gostei tanto, que não resisti a partilhar.

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Dar

Dar o que me é pedido.
Mesmo que não perceba.
Mesmo que ache que não faz sentido.
E dar sempre, de boa vontade e sorriso aberto.
Dar o quê?
A música responde: um pouco mais do que tens.
Porquê?
Também responde: fica mais rica a alma de quem dá!

=)


segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Persistência


Ultimamente, tenho recordado uma conversa com um amigo, que tive há cerca de duas semanas.
Os dias têm-se arrastado, sempre iguais.
Difícil tem sido encontrar algo de novo em cada um deles. Encontrar traços d'Ele na monotonia do tempo é um desafio.
Sim, queria que a semana que passou tivesse sido diferente. Sim, sim, sim queria. Não foi.
Sim, também, se pudesse, gostava de mudar este e aquele pormenorzinho.
E daí? O cerne da questão consiste em aceitar aquilo que não depende de nós, e encaixar isso tudo no Projecto que Ele sonhou para mim.
Insisto na persistência, qualidade que nem sempre abunda, mas que me esforço por não deixar fugir por completo.
E continuo a caminho do melhor que posso ser.
Deixo uma frase da homilia de ontem, que me ficou: "Que sejamos capazes de dar um verdadeiro Testemunho, não de Palavras, mas de Atitudes."

sábado, 1 de agosto de 2009

O que tem que ser...

Vou amanhã para o Algarve.
Perto de Albufeira.
E pronto. Hei-de voltar a casa com uma corzinha mais generosa =)

terça-feira, 28 de julho de 2009

em todas as ruas do amor

Se sou tinta
Tu és tela
Se sou chuva
És aguarela
Se sou sal
És branca areia
Se sou mar
És maré cheia
Se sou céu
És nuvem nele
Se sou estrela
És de encantar
Se sou noite
És luz p'ra ela
Se sou dia
És o luar

Sou a voz do coração
Numa carta
Aberta ao mundo
Sou o espelho
D’emoção
Do teu olhar
Profundo
Sou um todo
Num instante
Corpo dado
Em jeito amante
Sou o tempo
Que não passa
Quando a saudade
Me abraça

Beija o mar
O vento e a lua
Sou um sol
Em neve nua
Em todas as ruas do amor
Serás meu e eu serei tua

domingo, 26 de julho de 2009

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Metamorphosis?

"O que tens hoje?" "Andas estranha..." "Ai, hoje não estás cá toda... Pois não?" Estarei estranha? Não sei se sei responder. Há muita coisa a acontecer, em muitas vertentes. Não me sinto perdida em mim. Às tantas, estou é diferente. E não estranha. E não me estranho, e por isso não me perco em mim. Acredito que há uma parcela de nós pouco ou dificilmente alterável, e uma outra mais permeável a mudanças provocadas pelo meio em que estamos, pelos acontecimentos a que assistmos, por aquilo que vivemos. Estou estranha... Voltei para casa em Abril, depois de uns meses fora (pelos Direitos). E não, não sou a mesma Teresa que saiu de casa a meio de Setembro do ano passado. Ri e chorei, fiz amigos e vi outros afastarem-se. Dancei, cantei. Amei, fui amada. Falei e também fiquei calada. Rezei e perdi-me a contemplar. Interrompi, e por isso, recomecei. Cresci? De facto, as opiniões diferem. Considero que sim. Se procuram a Teresa de há um ano, encontrarão apenas uma parte. Porque há muito de novo agora. E há novidades todos os dias. Basta um sorriso ou uma lágrima. Uma música. Um beijo. Uma mão que se dá. Um abraço que se oferece. E posso ser nova, renovar-me sempre, quando quiser, quando achar que aqui, neste ponto, posso ser diferente, quero ser diferente. Quero ser melhor.


Esta música, que nada tem que ver com o escrevi, fica apenas por ser uma das músicas que oiço desde que me conheço, e de que gosto desde que me conheço.

(Não me querendo repetir, fica também, com a música, um beijo para o meu amor *.*)

terça-feira, 14 de julho de 2009

Quando for grande...

... quero ser enfermeira :)

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Porque sim!

Já ri e já chorei.

Já dancei, e já cantei!

Não me canso de a ouvir....

[À semelhança dos programas de qualquer RTP, SIC ou TVI, queria mandar um beijinho; e não, não é para a minha tia do Luxemburgo nem para os meus primos da Suiça. É mesmo para o meu amor que anda pelo reino dos algarves... :)]

domingo, 5 de julho de 2009

A gaivota


Gostei desta música assim que a ouvi pela primeira vez na rádio.

Com a insistência, foi-se tornando uma daquelas músicas que me faz falta ouvir.

Depois de ontem, é definitivamente uma música especial!

quinta-feira, 2 de julho de 2009

With us!

Apoios:
Câmara Municipal de Viana do Alentejo
Rádio Antena Sul
.
.
Fica o convite para a noite de sábado. :)
.
(Podia escrever linhas e linhas sobre a dança, sobre o palco, sobre união, e vontade, e perseverança. Mas, quem me conhece e me lê, sabe que quando tenho a alma cheia, fico no silêncio. Na certeza de que, muitas vezes, "o silêncio vale por mil palavras".)

segunda-feira, 29 de junho de 2009

A lápis, porque nunca se sabe



Agarrei a agenda, como tantas vezes.

Sentei-me no sofá, peguei no lápis e na borracha.

"O que vou fazer no verão?"

Nem sempre é fácil conciliar datas e vontades, concluo.

domingo, 21 de junho de 2009

Que eu Te deixe ficar

Permanece...
Permanece em nós...
Permanece em nós...
Permanece em nós...
Permanece em mim, Senhor!

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Senhor, ensina-me a rezar!

Pai-nosso que estais nos céus,
eu vos peço que vos digneis perdoar às almas não vos terem amado, não vos terem prestado o culto que vos é devido, a vós, seu Pai augusto e querido, mas de vos terem afastado do seu coração onde vós desejáveis habitar; e para suprir à sua falta, eu vos ofereço o amor e a honra que o vosso Filho querido vos prestou sobre a terra, e esta abundante satisfação pela qual pagou a dívida de todos os seus pecados.
Que o vosso nome seja santificado;
eu vos conjuro, ó terno Pai, que vos digneis perdoar às almas… por terem honrado dignamente o vosso santo nome, de o terem muito raramente recordado com devoção, de o terem muitas vezes usado em vão, e por se terem tornado, pela sua vida desonrada, indignos do nome de cristão. E como satisfação por este pecado, eu vos ofereço a perfeitíssima santidade do vosso filho pela qual exaltou o vosso nome nas suas pregações, e o honrou em todas as suas santíssimas obras.
Que o vosso reino venha;
eu vos peço, ó terno Pai, que vos digneis perdoar às almas… por não terem desejado com fervor, nem procurado com cuidado a vós e ao vosso reino, no qual unicamente consistem o verdadeiro repouso e a eterna glória. Para expiar toda a indiferença que elas tiveram por toda a espécie de bem eu vos ofereço os santos desejos pelos quais o vosso Filho quis que o vosso reino chegue e que nós sejamos os co-herdeiros do seu reinado.
Que a vossa vontade seja feita assim na terra como no céu;
eu vos conjuro, ó terno Pai, que vos digneis perdoar às almas, e sobretudo aos religiosos, terem preferido a sua vontade à vossa e por não terem amado em toda a vossa vontade, para viverem e agirem muitas vezes seguindo a deles. E para reparar a sua desobediência, eu vos ofereço a união do dulcíssimo Coração do vosso Filho com a vossa santa vontade, do mesmo modo que apronta submissão com a qual ele vos obedeceu até à morte da cruz.

Dai-nos hoje o nosso pão quotidiano;
eu vos conjuro, ó terno Pai, para que perdoeis às almas não terem recebido o Santíssimo Sacramento do altar com os desejos, a devoção e o amor que ele merece; por se terem tornado, para um grande número, indignos, e por o terem muito raramente recebido. Para expiar o seu pecado, eu vos ofereço a perfeita santidade e a devoção do vosso Filho, bem como o ardente amor e o inefável desejo que o levaram a dar-nos este precioso tesouro.
E perdoai-nos as nossas ofensas como nós perdoamos àqueles que nos ofenderam; eu vos conjuro, ó terno Pai, que vos digneis perdoar às almas os pecados nos quais elas caíram, sobretudo não perdoando àqueles que os tenham ofendido e não amando os seus inimigos. Por estes pecados, eu vos ofereço a oração da mais doce suavidade, que o vosso Filho fez sobre a cruz pelos seus inimigos.
E não nos deixeis cair em tentação;
eu vos conjuro, ó terno Pai, que perdoeis às almas não terem resistido aos seus vícios e às suas concupiscências, terem muitas vezes consentido nos embustes do demónio e da carne, e se deixarem voluntariamente envolver em muitas más acções. Pela multidão dos seus pecados, eu vos ofereço a gloriosa vitória pela qual o vosso Filho venceu o mundo e o demónio, assim como toda a sua santíssima vida, com todos os seus trabalhos e as suas fadigas, a sua tão amarga paixão e a sua morte.
Mas livrai-nos do mal;
de todo o mal e de toda pena, pelos méritos do vosso querido Filho, e conduzi-nos ao reinado da vossa glória, que outra não é senão vós mesmo. Assim seja.

(Leão Dehon, OSP 4, pp. 429s.)

[retirado de http://www.dehonianos.org]

segunda-feira, 15 de junho de 2009

A arejar!


Saí depois do almoço.
O céu estava cinzento; caíam umas pingas de água que me souberam mais que bem, no meio deste tempo abafado e quente.
Quando voltei, a casa estava quente. Demasiado quente.
Abri as 3 janelas da sala, e deixei a casa arejar.



Quero, eu própria, arejar também.
Deixar ir o que me abafa e me amolece, e deixar-Te entrar, qual vento fresco no meio do calor.

Vem, e refresca a minha alma.

Vem, e refresca a minha vida.

Vem, e serei nova.

domingo, 14 de junho de 2009

A propósito

Há coisa de 5 meses já cá deixei a letra; hoje, fica a música/vídeo...
Porque neste tempo de Santos Populares, tenho saudades d'A Cidade.
Dos cheiros, dos barulhos, das avenidas grandes e das ruelas estreitas. Das pessoas. Da vida.


domingo, 7 de junho de 2009

Foi, foi bom...


Para além desta foto da sor. Maria Helena de Jesus, deixo a letra do cântico de Acção de Graças, e um pequeno vídeo do mesmo momento (que tomei a liberdade de retirar do blog da Ordem da Imaculada Conceição - Campo Maior).


"Senhor a Tua graça"

Senhor a Tua graça e imenso amor
Salvou um pecador como eu
Estava só mas Tu vieste e eu Te encontrei
Não via agora sei quem És

Levanto o meu olhar a Ti Senhor
Tu és o nosso Deus salvador
Tu vieste e foste paz, vieste dar
A força a quem quiser andar

Em noite ou claro dia eu sei quem És
Irei seguindo a luz que encontrei
Nunca mais se apagará a luz que és Tu
E eu sei em quem acreditei

Ouvi Tua palavra, ouvi a voz
Ecoa aos meus ouvidos ela vem
Acalmar a minha ansiedade e acertar
O som do meu ao teu olhar.



video

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Welcome June!

E chega Junho! E já só me apetece mergulhos, e gargalhadas, e noites boas depois de dias quentes quentes quentes.
Fica a música, muito à Verão (que está à porta), e que é podre de boa!


terça-feira, 26 de maio de 2009

Vigília de Pentecostes

Fica o convite...
Vigília de Pentecostes

Igreja Matriz de Viana do Alentejo
29 de Maio de 2009
21h30


Organização: Grupo de Jovens Maranathá – Viana do Alentejo

sexta-feira, 22 de maio de 2009

A primeira

Semana
(latim tardio septimana, -ae)
s. f.
1. Série de sete dias consecutivos a partir do domingo.
2. Série de sete dias consecutivos.

terça-feira, 19 de maio de 2009

Kiss me!

Porque para bom entendedor, meia palavra basta!

[Já é o 100º post... =)]

domingo, 17 de maio de 2009

Como o Pai Me amou

O Evangelho de hoje fez ressoar em mim esta música...

O convite fica, lançado por Cristo: "Permanecei no Meu amor..."

sexta-feira, 15 de maio de 2009

E pronto...



[Às vezes dispenso as palavras]

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Vontade

s. f.
1. Faculdade comum ao homem e aos outros animais pela qual o espírito se inclina a uma acção.
2. Desejo.
3. Acto de se sentir impelido a.
4. Ânimo, espírito.
5. Capricho, fantasia, veleidade.
6. Necessidade física.
7. Apetite.
8. Arbítrio, mando, firmeza de carácter.
9. Zelo, interesse, empenho.

E por aqui me fico...

quarta-feira, 13 de maio de 2009

"É lindo!"

Já cá estou. Cheguei há pouco, pouquíssimo tempo de Fátima.
Há experiências que não se explicam; ou se vivem, e se sentem, ou não se vivem, e não se conhecem.
Foi bom. Foi tão bom!
Não consigo escrever mais nada. O que trago não cabe aqui, nem em lado nenhum!
[Fica um grande abraço a todos os que comigo partilharam este caminho de estrada e de crescimento. Guardo-vos com carinho. Definitivamente, há coisas que nos marcam a alma.]

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Porque o caminho faz-se caminhando

Parto amanhã. Cedo.
Pés ao caminho e coração aberto.
O Santuário de Fátima como destino.

terça-feira, 5 de maio de 2009

domingo, 3 de maio de 2009

Silence

[trying to learn how to deal with it]

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Dia Mundial da Dança



E umas saudades loucas...

Caminhos cruzados

Só me pode magoar verdadeiramente alguém de quem goste a sério, alguém que entre verdadeiramente em mim, que me conheça o bom e o mau, e que (consequentemente) me saiba magoar, ainda que inconscientemente, por saber que me dou totalmente àqueles que guardo sem reservas...
Só me magoa verdadeiramente quem eu deixo que entre verdadeiramente em mim. E tu entraste. Deixei-te entrar. Gosto que tenha sido assim. Apesar de teres saído a correr da última vez, e teres deixado cicatrizes. Também gosto das cicatrizes. Lembro-me de quem era quando te abri a porta da primeira vez. Lembro-me, na verdade, daquilo que já não sou, daquilo que cresci quando saíste de repente. Abri-te a porta, esta segunda vez, porque quis. Sabendo o que podia vir, e que o que podia vir podia ser igual ao que já tinha vindo antes. Mas não querendo que fosse. Porque não gosto da tua saída, mas da tua permanência. E nem é tanto a saída dolorosa que me preocupa, mas o facto de deixares um espaço que mais nada ocupa. Porque te pertence.
Fazes sentido na minha vida. Mas também tenho dúvidas. Sim, apeteces-me hoje; e amanhã? Estás, de certo modo, noutro patamar. És outra praia. Uma praia na qual já morri, sem sentir o sabor do mar. E não quero morrer mais aqui, em ti. Quero que fiques. Com cuidado, mas que fiques. Tenho medo, mas tenho vontade de arriscar. Ainda que sabendo que podes sair outra vez, a correr, mais depressa do que na primeira vez. Ainda que sabendo que os abraços serão escassos... Ainda que sabendo que não vai ser fácil. Quero que fiques. Queria que ficasses. Fica... se quiseres...

És bom. Vales a pena. E eu gosto que assim seja...

segunda-feira, 27 de abril de 2009

... ainda assim...

Ribeira vai cheia
E o barco não anda,
Tenho o meu amor
Lá na outra banda!

Lá na outra banda
E eu cá deste lado,
Ribeira vai cheia
E o barco parado!

sexta-feira, 24 de abril de 2009

O meu prisma

Cresci com este Santuário sempre ao lado e, de certo modo, no colo da Senhora d'Aires (qual Cristo descido da cruz). Foi-me sempre familiar. Para além das idas habituais com a minha mãe, sempre me habituei a ver o recinto cheio lá pelos fins de Setembro, na altura da Feira. E sempre gostei dos fins de Abril, altura da Festa, menos movimentada...

Não me lembro com clareza da primeira Romaria a Cavalo, em 2000. Lembro-me que foi uma movimentação estranha, mas boa. E que, de certo modo, veio animar aquilo que costumava ser uma Festa que quase passava despercebida.


Passaram nove anos, e a IX Romaria a Cavalo partiu na quarta-feira da Moita. Trazem a Senhora da Boa Viagem e o desejo de chegar a Viana e receber o carinho da Senhora d'Aires.
É, e deve ser, um orgulho ver deslocar uma massa humana desta dimensão (saíram da Moita mais de 300 romeiros, e outros tantos se vão juntar pelo caminho) para a 'minha' vila.
É, sem dúvida, comovente ver deslocar tantos romeiros para o colo daquela que tenho aqui ao lado todo ano.

Adivinha-se um fim-de-semana agitado, mas com tempo para tudo. É isso que desejo e que espero de coração de todos aqueles que se vêm juntar e dar cor à vila.
Ponderação, porque o tempo chega para tudo.

A chegada dos romeiros está prevista para as 18horas, mais coisa, menos coisa, ao Largo de S. Luís. Às 21horas sairá da Igreja Matriz a Procissão pelas ruas da vila.
A noite também se adivinha animada...
No domingo, por volta das 10h, sairá do Largo de S. Luís a Procissão rumo ao Santuário, em frente ao qual será celebrada Missa Campal.

Fica o convite para quem nos quiser visitar! =)

(...)

"Cheio de Deus, não temo o que virá,
Pois venha o que vier, nunca será
Maior do que a minha alma."
Fernando Pessoa

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Pó...


Pó de Arroz - Tiago Bettencourt

E eis que me lembro de 1001 coisas...

E tenho que sorrir =)

sábado, 18 de abril de 2009

Castelos

É sempre o mesmo muro do castelo que vacila.
Já o reconstruí com cimento, ja o reconstruí com talas de madeira, com tijolos de barro...
Voltou sempre a cair.
Só posso acreditar que o erro está na reconstrução...

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Não foi de propósito.
A sério, não tive culpa...

Mas ontem estava no quarto, e de repente...
Cheirou-me ao teu perfume...
[Parecia que te tinha ali]

terça-feira, 14 de abril de 2009

Necessidades!

Lá está, hoje precisava só de ouvir "you are beautiful".

E pronto, o Mika lá me fez a vontade! =)

domingo, 12 de abril de 2009

1103, Os Fofinhos do


Uma semana...

É assustadora a velocidade com que esta semana voou!

Era Domingo de Ramos quando cada um deixou a sua casinha, entrou no Convento dos Capuchos e, ao começar o CF 1103, acordou deixar o mundo e as preocupações também.

E o bom que foi!

Não consigo fazer agora um balanço fidedigno do que foi "fazer cozinha". Porém, arrisco-me já a dizer que foi, como foi o 1052, um investimento a longo prazo.

Não tenho pressa em ver os frutos surgir. Foi o começo de mais uma estrada, que não acaba nunca mais!

Foi belíssimo!


(fofinhos, as saudades já apertam!)*


quinta-feira, 9 de abril de 2009

Seja a cruz


Que este vinho e este pão, Senhor
Que nos dás nesta hora de fé
Seja um hino de esperança
De união e de amor

Seja a nossa oração, meu Deus
A lembrança de Ti na cruz
Seja a nossa paixão
Que sofreste, Jesus

Seja a cruz como um sinal
Seja o guia, seja a nossa voz
Seja Jesus Cristo, o Redentor
Na vida de todos nós

Seja a cruz como um sinal
Que nos dá o Teu perdão
Livra-nos Senhor da tentação
Livra-nos de todo o mal

sexta-feira, 3 de abril de 2009

*


Foi uma honra.
Um prazer.

=)

terça-feira, 31 de março de 2009

Decisão

do Lat. decisione

s. f.,
acto ou efeito de decidir;
resolução;
deliberação;
sentença;
intrepidez;
coragem;
desassombro;
fim.

segunda-feira, 30 de março de 2009

Se fosse um jogo de cartas...



(Tenho, de facto, saudades das visitas de estudo do liceu!)

quinta-feira, 26 de março de 2009

Another day, in Paradise


(Ia escrever muita coisa, mas é suficiente dizer que esta música me acompanha, desde que me lembro...)

terça-feira, 24 de março de 2009

sábado, 21 de março de 2009

Só porque...

Só porque a vida é hoje.
Só porque a música é um encanto.
Só porque estou bem.
Só porque... enfim, só porque sim!


sexta-feira, 20 de março de 2009

Apropriado

Vi, revi, e não resisti a postar.
É isto... A quaresma é isto...
[A fonte está no final!]

video

terça-feira, 17 de março de 2009

Quaresma


Estamos a meio...

sexta-feira, 13 de março de 2009

(black)Bird singing in the death of night

Foi um dia bom. Não foi óptimo, mas não foi normal. Foi bom!
Estou a estudar, de janela aberta porque não aguento este calor fora de época... =\
Eis senão quando, no meio do ruído dos carros (que, a esta hora, mesmo aqui, não é assim tanto), oiço um pássaro lá fora, a cantar...




(Fica a música; pouco conhecida mas que me agrada sempre ouvir e, particularmente, tocar...)

quarta-feira, 11 de março de 2009

Magoar

a) provocar um sentimento penoso e de irritação
b) colocar em estado de contrariedade

domingo, 8 de março de 2009

Mãos à obra

Dás trabalho. Dás-me trabalho.
Porque amar dá trabalho, e porque a amizade dá trabalho.

"Quem quiser seguir-Me, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz, e siga-Me"

Portanto, mãos à obra e pés ao caminho!

quinta-feira, 5 de março de 2009

Nem nada

«Quem sabe se te esqueci
Ou se te quero
Quem sabe até se é por ti
que eu tanto espero.
Se gosto ou não afinal
Isso é comigo,
Mesmo que penses
Que me convences
Nada te digo.»

segunda-feira, 2 de março de 2009

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

"Este é o tempo favorável..."

E é mesmo. Para uma data de coisas.



Quero-me perto.

E quero-Te perto.

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Sentidos do gosto





Gosto de luz e de espaços abertos.



Gosto de me colar a ti na cor do vazio.






quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Canção Grata

Por tudo o que me deste
inquietação cuidado
um pouco de ternura
é certo mas tão pouca
Noites de insónia
Pelas ruas como louca
Obrigada, obrigada

Por aquela tão doce
e tão breve ilusão
Embora nunca mais
Depois de que a vi desfeita
Eu volte a ser quem fui
Sem ironia aceita
A minha gratidão

Que bem que me faz agora
o mal que me fizeste
Mais forte e mais serena
E livre e descuidada
Sem ironia amor obrigada
Obrigada por tudo o que me deste


Florbela Espanca

domingo, 15 de fevereiro de 2009

(Sem título apropriado)

Apetecia-me escrever muita coisa, muito diferente.
Para não sair uma borrada, abstenho-me.
E fica só a nota de que amanhã volto à minha Lisboa.

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

All about lights

O Bruno escreveu sobre luzes. E hoje de manhã, enquanto o lia, percebi que esta história das luzes e da Luz às vezes passa por nós sem nos darmos conta que ela existe.
Pois bem, gosto de dividir as coisas e de as encaixar nos seus devidos lugares (ainda que corra o risco de me enganar na etiquetação).

Comecemos pelas luzes, que é aquilo de que o Bruno fala, segundo me parece. São luzes, sem mais. Estão em toda a parte: na estrada, nos prédios, na mesa de cabeceira do quarto, no tecto da casa de banho... Existem para nos iluminar (lá está, constatações óbvias). Quando são verdes, azuis, amarelas, vermelhas, ou de outra cor qualquer, distorcem o que vemos. E já não vemos o que lá está, mas o que lá está sob um filtro verde (por exemplo). E estas luzes coloridas não são más (caramba, as luzes nem têm personalidade!); a questão é que, apesar de se mostrarem alegres e de nos atraírem tanto, de facto não nos mostram a realidade (parece quase uma contradição).

Às vezes andamos assim, atraídos, com outras coisas que não são luzes, mas que são mais coloridas que a Luz. E, se a luz for vermelha, vemos tudo sob um filtro vermelho, e se for amarela, sob um filtro amarelo. Somos enganados, e deixamos! Porque, lá está, não vemos o que lá está. Vemos o que lá está sob um filtro colorido.

E agora vem a Luz. Que não tem cor aparente. Que, à primeira vista, não é atractiva, mas vulgar. Mas que tem a vantagem de não nos enganar. E de, por ser branca, nos mostrar o mundo como ele é. Não nos limita o que vemos, mas deixa-nos autonomia para colorir o que vemos do modo como quisermos, a partir de nós.

(Fui extensa, e não sei se fui clara. Espero mesmo que sim.)

"O Verbo era a Luz verdadeira, que, ao vir ao mundo, a todo o homem ilumina." (Jo 1, 9)

domingo, 8 de fevereiro de 2009

constatações#1

Pessoas normais falam de coisas,
pessoas inteligentes falam de ideias,
e pessoas medíocres falam de pessoas.
Platão

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Hoje voltei!


Custou-me, claro. Os ossos estalaram, os músculos esticaram, esticaram, e DOERAM! Mas, e o bem que me soube?! =)

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

De boas intenções...

Queria ter ido correr de manhã, mas encontrei o céu tão ameaçador que a vontade passou!
(Farta deste tédio desta vila.)

domingo, 1 de fevereiro de 2009

Uma questão de postura



Costas direitas, nariz para cima e olhar no futuro.

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Desafio (é de bom tom denominar assim este post)

Ora bem, o Bruno Lopes lançou-me o desafio, como já lhe tinha sido feito:

- Abrir um livro, ao acaso, e escrever no blogue a frase que se pode ler na página 161, linha 5;
- Passar o desafio para outros bloguistas.

Olhei para a estante e puxei um dos mais fascinantes que já li, O Perfume de Patrick Süskind.

"Esboçou um pequeno aceno de cabeça à silhueta e verificou que, ao corresponder-lhe, ela dilatava discretamente as narinas..."

Fica o desafio para os digníssimos...

... Alex & Diogo (agradava-me deveras que se juntassem e pegassem juntos num livro)
... Bruno Conchinha
... Sofia Branco
... Telmo Seco

Gosto muito!

O dia hoje foi assim uma coisa do outro mundo! A máquina multibanco comeu-me o cartão, fiquei sem um tusto que se aproveite e, fora isso, conheci o Conservatório Nacional, que é quanto baste para me pôr a sorrir! E cá estamos, sobrevive-se!
Tenho comboio amanhã de manhã (cedo demais, mas seja, a CP não existe em função da minha pessoa) e ainda nem a mala fiz!

[Se pudesse pegava nos amigos e trazia-os para Lisboa, mas não se pode, cada um lá tem a sua vida...E portanto esperam-me duas semanas em Viana. Sem o movimento de Lisboa, mas com tudo o resto a que tinha direito até ao passado Setembro e (de repente) me desapareceu do quotidiano...]

Acabado o debafo melancólico, cabe-me dizer-vos que tenho andado a ouvir muito fado. Gostava muito que tivesse sido fácil escolher um para vos deixar aqui, mas não foi. Escolhi este, da fantástica Ana Moura, com a intervençao de um músico de que não sei o nome mas que dá ao fado um temperamento andaluz que me agrada muito e muito!




Vou Dar De Beber À Dor - Ana Moura

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Do you?


- May I come in?

- Not now. Sorry.

- But... I...

- Do you mind?! I'm busy, being me.

- And what about me?

- You? Well, maybe tomorrow...

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Aguentem-se as memórias...!

Dizem que ele continua...

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Livros!


Em cima da secretária anda este "Introdução ao Estudo do Direito" do Professor Doutor Germano Marques da Silva.

Estamos a entender-nos bem... Como diz o Pedro Gabriel "é um livro que faz muita companhia"!

Sou eu, o livro, o lápis 2B da Faber Castell e os marcadores coloridos da Stabilo.

Em cima da mesa de cabeceira tenho "O Código da Inteligência" de Augusto Cury.

Simpatizo mais com este do que com o anterior... Tem-me feito parar e pensar numa quantidade enormíssima de coisas.

E pronto, ando nisto!