segunda-feira, 29 de junho de 2009

A lápis, porque nunca se sabe



Agarrei a agenda, como tantas vezes.

Sentei-me no sofá, peguei no lápis e na borracha.

"O que vou fazer no verão?"

Nem sempre é fácil conciliar datas e vontades, concluo.

domingo, 21 de junho de 2009

Que eu Te deixe ficar

Permanece...
Permanece em nós...
Permanece em nós...
Permanece em nós...
Permanece em mim, Senhor!

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Senhor, ensina-me a rezar!

Pai-nosso que estais nos céus,
eu vos peço que vos digneis perdoar às almas não vos terem amado, não vos terem prestado o culto que vos é devido, a vós, seu Pai augusto e querido, mas de vos terem afastado do seu coração onde vós desejáveis habitar; e para suprir à sua falta, eu vos ofereço o amor e a honra que o vosso Filho querido vos prestou sobre a terra, e esta abundante satisfação pela qual pagou a dívida de todos os seus pecados.
Que o vosso nome seja santificado;
eu vos conjuro, ó terno Pai, que vos digneis perdoar às almas… por terem honrado dignamente o vosso santo nome, de o terem muito raramente recordado com devoção, de o terem muitas vezes usado em vão, e por se terem tornado, pela sua vida desonrada, indignos do nome de cristão. E como satisfação por este pecado, eu vos ofereço a perfeitíssima santidade do vosso filho pela qual exaltou o vosso nome nas suas pregações, e o honrou em todas as suas santíssimas obras.
Que o vosso reino venha;
eu vos peço, ó terno Pai, que vos digneis perdoar às almas… por não terem desejado com fervor, nem procurado com cuidado a vós e ao vosso reino, no qual unicamente consistem o verdadeiro repouso e a eterna glória. Para expiar toda a indiferença que elas tiveram por toda a espécie de bem eu vos ofereço os santos desejos pelos quais o vosso Filho quis que o vosso reino chegue e que nós sejamos os co-herdeiros do seu reinado.
Que a vossa vontade seja feita assim na terra como no céu;
eu vos conjuro, ó terno Pai, que vos digneis perdoar às almas, e sobretudo aos religiosos, terem preferido a sua vontade à vossa e por não terem amado em toda a vossa vontade, para viverem e agirem muitas vezes seguindo a deles. E para reparar a sua desobediência, eu vos ofereço a união do dulcíssimo Coração do vosso Filho com a vossa santa vontade, do mesmo modo que apronta submissão com a qual ele vos obedeceu até à morte da cruz.

Dai-nos hoje o nosso pão quotidiano;
eu vos conjuro, ó terno Pai, para que perdoeis às almas não terem recebido o Santíssimo Sacramento do altar com os desejos, a devoção e o amor que ele merece; por se terem tornado, para um grande número, indignos, e por o terem muito raramente recebido. Para expiar o seu pecado, eu vos ofereço a perfeita santidade e a devoção do vosso Filho, bem como o ardente amor e o inefável desejo que o levaram a dar-nos este precioso tesouro.
E perdoai-nos as nossas ofensas como nós perdoamos àqueles que nos ofenderam; eu vos conjuro, ó terno Pai, que vos digneis perdoar às almas os pecados nos quais elas caíram, sobretudo não perdoando àqueles que os tenham ofendido e não amando os seus inimigos. Por estes pecados, eu vos ofereço a oração da mais doce suavidade, que o vosso Filho fez sobre a cruz pelos seus inimigos.
E não nos deixeis cair em tentação;
eu vos conjuro, ó terno Pai, que perdoeis às almas não terem resistido aos seus vícios e às suas concupiscências, terem muitas vezes consentido nos embustes do demónio e da carne, e se deixarem voluntariamente envolver em muitas más acções. Pela multidão dos seus pecados, eu vos ofereço a gloriosa vitória pela qual o vosso Filho venceu o mundo e o demónio, assim como toda a sua santíssima vida, com todos os seus trabalhos e as suas fadigas, a sua tão amarga paixão e a sua morte.
Mas livrai-nos do mal;
de todo o mal e de toda pena, pelos méritos do vosso querido Filho, e conduzi-nos ao reinado da vossa glória, que outra não é senão vós mesmo. Assim seja.

(Leão Dehon, OSP 4, pp. 429s.)

[retirado de http://www.dehonianos.org]

segunda-feira, 15 de junho de 2009

A arejar!


Saí depois do almoço.
O céu estava cinzento; caíam umas pingas de água que me souberam mais que bem, no meio deste tempo abafado e quente.
Quando voltei, a casa estava quente. Demasiado quente.
Abri as 3 janelas da sala, e deixei a casa arejar.



Quero, eu própria, arejar também.
Deixar ir o que me abafa e me amolece, e deixar-Te entrar, qual vento fresco no meio do calor.

Vem, e refresca a minha alma.

Vem, e refresca a minha vida.

Vem, e serei nova.

domingo, 14 de junho de 2009

A propósito

Há coisa de 5 meses já cá deixei a letra; hoje, fica a música/vídeo...
Porque neste tempo de Santos Populares, tenho saudades d'A Cidade.
Dos cheiros, dos barulhos, das avenidas grandes e das ruelas estreitas. Das pessoas. Da vida.


domingo, 7 de junho de 2009

Foi, foi bom...


Para além desta foto da sor. Maria Helena de Jesus, deixo a letra do cântico de Acção de Graças, e um pequeno vídeo do mesmo momento (que tomei a liberdade de retirar do blog da Ordem da Imaculada Conceição - Campo Maior).


"Senhor a Tua graça"

Senhor a Tua graça e imenso amor
Salvou um pecador como eu
Estava só mas Tu vieste e eu Te encontrei
Não via agora sei quem És

Levanto o meu olhar a Ti Senhor
Tu és o nosso Deus salvador
Tu vieste e foste paz, vieste dar
A força a quem quiser andar

Em noite ou claro dia eu sei quem És
Irei seguindo a luz que encontrei
Nunca mais se apagará a luz que és Tu
E eu sei em quem acreditei

Ouvi Tua palavra, ouvi a voz
Ecoa aos meus ouvidos ela vem
Acalmar a minha ansiedade e acertar
O som do meu ao teu olhar.



video

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Welcome June!

E chega Junho! E já só me apetece mergulhos, e gargalhadas, e noites boas depois de dias quentes quentes quentes.
Fica a música, muito à Verão (que está à porta), e que é podre de boa!